Afroempreendedorismo: como a busca pela democracia racial está criando oportunidades de negócios e valorizando a cultura negra

12/04/2018

 

 

Estimular a geração e inovação de negócios, ampliando oportunidades de trabalho e renda para os negros. Este é o objetivo do Afroempreendedorismo.

Na era digital, onde a informação é compartilhada com cada vez mais rapidez, abrir um negócio próprio, valorizando sua estética, cultura e ancestralidade é um ato direto de combate ao racismo.

A luta pela relevância dos negros em cargos de liderança, buscando a democracia racial é diária.

Hoje, a maioria dos empreendedores brasileiros são negros e 40% dos trabalhadores com carteira assinada são mulheres negras, mudando historicamente o posicionamento delas no mercado.

O empreendedorismo é decisivo no desenvolvimento social e econômico e conversar sobre temas de extrema relevância como a inserção social, o racismo e o empoderamento negro fazem parte de uma ideologia que alcança o engajamento de um público crescente.

 

 

O Empreendedorismo Negro no passado

 

Historiadores destacam que apesar de ser um termo relativamente novo, o Afroempreendedorismo está presente na vida dos negros desde a época da escravidão, quando os senhores de engenho obrigavam as escravas a fazerem produtos típicos de sua cultura para comercializá-los.

Após a abolição, muitos negros foram marginalizados e buscaram no empreendedorismo uma ferramenta de lutar pela inserção social.

 

 

A luta contemporânea do Afroempreendedor

 

Mas infelizmente o empreendedor negro ainda é vítima constante do racismo: não é bem recebido em bancos, tem difícil aceitação por parte dos clientes, sofre com a desconfiança de sócios e tem sua capacidade subestimada.

Tais dificuldades explicam a necessidade de se criar grupos de orientação exclusivos para o afroempreendedor, que aos poucos, vence o ceticismo, conquistando espaço no mercado.

Um estudo realizado pelo Projeto Brasil Afroempreendedor apontou que quase metade dos entrevistados (44,%) já sofreram com manifestações discriminatórias por parte dos seus clientes

E não para por aí: além da discriminação diária, lutam contra o histórico de exclusão em relação a oportunidades de trabalho e estudo. A consequência disso é que metade dos micro e pequenos afroempreendedores não compete em condições iguais com a outra metade, formada por pessoas brancas .

 

                                                                                                         

Construindo localmente para atingir globalmente

 

A K3brada é uma marca local de “moda preta, urbana e alternativa”, que valoriza o estilo contemporâneo negro oriundo das favelas, tomando conta do street style e que carrega consigo a missão de dar visibilidade para a negritude marginalizada no Brasil.

As peças são criadas pelo casal Paula e Erik, que dão conta juntos da produção e de toda a rotina de gerenciamento da marca, além de manterem um brechó homônimo.

Tudo começou quando a Paula resolveu juntar dinheiro para fazer o chá de bebê da sua filha e decidiu vender algumas peças esquecidas no armário.Com um bebê chegando, o casal resolveu investir na ideia e além de venderem roupas de segunda mão, começaram a criar peças exclusivas com tecidos estampados selecionados.

Enquanto a Paula desenha as peças, o Erik as produz e cria novas opções em cima das que já foram criadas. A criação é livre e autoral.

 

As expectativas para o futuro não poderiam ser melhor: “Pretendemos expandir a marca K3brada para atuações ativistas dentro das comunidades, levando informações de cunho racial, político e de incentivo à economia sustentável e alternativa, em especial de empreendedores negros. Estamos também trabalhando na possibilidade de expansão do nosso quiosque a outro ponto e com mais disponibilidade de atendimento para um contato mais íntimo é acessível aos nossos clientes” afirma Paula.

 

Fotografamos as peças da nova coleção que vai estar nas araras em breve e que trazem na sua identidade os tecidos africanos, todos com selo de origem e qualidade. Confira a seguir:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Projetos importantes

 

Listamos três projetos importantes para empreendedores que buscam um suporte.

 

Movimento Black Money: um site onde são publicados semanalmente conteúdos nas áreas de inovação, tecnologia, comportamento e finanças, além da divulgação de ações e projetos voltados ao empreendedorismo de negros jovens e adultos.

 

Projeto Brasil Afroempreendedor: uma iniciativa que promove o desenvolvimento social e econômico no país, realizando ações de capacitação e formação de micro e pequenos empresários e empreendedores individuais afrobrasileiros.

 

Reafro (Rede Brasil Afroempreendedor): uma associação composta por pessoas engajadas a estimular a ação empresarial, a troca de experiência, o compartilhamento de conteúdo e o desenvolvimento de projetos e parcerias.

 

 

 

 

Ainda há muito pelo que lugar e o que alcançar, mas os dados não mentem e apesar de lento, o crescimento é constante.

O conceito do Afroempreendedorismo tem estabelecido mudanças em diversos segmentos e ajudado a conscientizar as pessoas quanto as suas identidades étnicas, empoderando e estimulando a auto confiança.

 

-

 

Curtiu o post?

Segue a gente no Instagram e no Facebook, comenta e compartilha! Assim você ajuda a gente a levar mais conteúdo pra mais pessoas, e de quebra, fica por dentro de tudo o que rola aqui no blog também ;)

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

ÚLTIMOS POSTS

Como escrever legendas que ENGAJAM!

May 28, 2020

Como passar CREDIBILIDADE nas redes sociais

May 17, 2020

1/15
Please reload

Cadastre-se agora e receba gratuitamente atualizações, artigos e dicas exclusivas para assinantes!

INSTAGRAM

ENTRE EM CONTATO:

julianaalso.c@gmail.com

  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco

Powered by: Juliana Also | 2020