Fashion Branding Case: Annie Leibovitz

Annie Leibovitz é uma das fotógrafas mais reconhecidas da história e você com certeza já viu algum retrato dela por aí. Sabe aquela a foto icônica do John Lennon abraçado em Yoko totalmente nu, 8 horas antes do seu assassinato? Foi ela quem fez.


Ela fotografou para a revista Rolling Stones, seguiu a banda em uma turnê de 8 anos que quase tirou a sua vida e se encontrou na fotografia de moda, trabalhando para revistas como Vogue e Vanity Fair.


O video de hoje é mais um Fashion Branding Case. E pela minha introdução já deu pra perceber que hoje a gente vai conhecer a marca pessoal de Anne Leibovitz!


Eu conheci o trabalho da fotógrafa Anne Leibovitz há alguns anos, quando eu comecei a estudar fotografia de moda. Pra quem não sabe, eu já trabalhei com fotografia de moda, mas isso é assunto pra outro vídeo. De lá pra cá, eu fui conhecendo essa artista e me apaixonando pela técnica dela que mistura fotografia, pintura e moda.


Ela é amiga pessoal de Anna Wintour, editora chefe da Vogue americana e tem uma história bem contraventora, o que eu amo! Adoro mulheres que quebram padrões, que se arriscam e que tem sucesso sendo exatamente como são.


QUEM É?

- fotógrafa estadunidense conhecida por seus retratos que misturam fotografia com arte

- por volta da década de 60 ela começou a se interessar por fotografia, após ir visitar a família que morava em israel e trabalhar num kibutz

- de volta aos eua no inicio da dácada de 70, ela estudava pintura na Califórnia com o intuito de se tornar professora e frequentava um curso noturno de fotografia

- durante um workshop de fotografia, ela percebeu que a pintura não era a sua verdadeira vocação

- logo ela se viu inspirada por seus idolos, Robert Frank e Henri Cartier-Bresson, conhecidos por tornar a fotografia mais real e próxima do cotidiano.


INÍCIO DE CARREIRA

- os anos 60 foram um cenário de grande liberdade artística e cultural, com artistas no cinema e na música exercendo grande influência nos jovens da década

- no final dessa década, Anne era estudante de fotografia quando se ofereceu para trabalhar na revista Rolling Stones e surpreendentemente, conseguiu o emprego

- em seguida, ela decidiu acompanhar a banda numa turnê de 8 anos que foi uma das experiências mais marcantes da vida de Annie

- pois era um momento em que Mick Jagger e Keith Richards eram considerados os bad boys da música, envolvidos em um mundo regado a drogas e álcool- Annie decidiu se arriscar, em 1975, e caiu na estrada com eles. Acabou conseguindo momentos inéditos, desde a glória nos palcos até a decadência nos bastidores.


A EXPANSÃO DA MARCA

- Depois de passar pela reabilitação após essa turnê, ela decidiu tomar outro rumo na vida e foi contratada em 83 pela Vanity Fair

- Lá ela começou a formar um estilo fotográfico pessoal,

- Com ideias criativas e únicas, conseguiu acesso ao mundo das celebridades que foi de grande ajuda para que sua carreira decolasse.


NETWORKING, PARCEIROS E AMIGOS

- Além de passar pela Vanity Fair e outras revistas femininas, ela começou a colaborar com a Vogue Americana, se tornando amiga íntima de Anna Wintour, um dos nomes mais conhecidos da moda

- Lá, ela fotografou diversos artistas e celebridades, sempre reafirmando sua técnica que mistura fotografia com pintura.

- Ela fotografou desde John Lenon até um ensaio com os atores de GOT


FOTOGRAFIAS

- Por falar em John Lenon, a última imagem da carreira dele foi tirada por Annie, 8 horas antes do seu assassinato.

- Ela já fotografou a rainha elizabeth, fez sessões com os atores de star wars, angelina jolie, leonardo di caprio, woopi goldberg, demi moore, arnold schwazenegger e jennifer Hudson, a primeira cantora negra a aparecer na capa da Vogue.

- um retrato conhecido e desejado por artistas, e uma das suas marcas são as fotografias de toalha


IDENTIDADE VISUAL

- atmosféra magica na edição das imagens

- mistura luzes naturais com artificiais e possui um estilo singular de fotografar famosos: com retratos de caráter intimista, bem roteirizados e imagens extremamente ensaiadas

luz dificil de copiar

- suas imagens tem uma técnica tão única e difícil de copiar que Annie faz parte do grupo de artistas que dominam o cenário da arte, da moda e dos retratos.


IMAGEM PESSOAL

- Cabelos longos, numa mistura de fios brancos e loiros, livres, desgrenhados, selvagens, mostram a ironia de uma mulher que trabalha com moda não ser levada de tendência em tendência

- óculos e roupas pretas, sóbrios, quase como se não quisesse chamar mais atenção do que o seu talento

- uma personalidade criativa e ao mesmo tempo, concentrada em tudo ao redor, captando detalhes


O QUE PODEMOS APRENDER COM ELA

- se arrisque (exemplo rolling stone)

- tenha um style signature (cabelo, preto, óculos)

- exponha seu trabalho (publicou 6 livros de fotografia, um de 5000 reais)

- não tenha medo de impor sua vontade (exemplo de discussão com anna wintour)

- documentário por trás das lentes


Annie começou a sua carreira crua, fotografando de acordo com o seu humor, sem uma temática exclusiva e ao longo dos anos, foi desenvolvendo uma ténica sua, escolheu um nicho, se tornou referência e levou o profissionalismo feminino à outro patamar.


Eu sou muito fã do trabalho dela e fico muito feliz em dividir essa análise da carreira dela.


Espero que vocês tenham se inspirado a agir e se arriscar mais, sair da sua zona de conforto e ir atrás do seu sim, porque o não a gente já tem, não é mesmo? vamos correr atrás do sim!


ÚLTIMOS POSTS

Cadastre-se agora e receba gratuitamente atualizações, artigos e dicas exclusivas para assinantes!

INSTAGRAM

ENTRE EM CONTATO:

julianaalso.c@gmail.com

  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco

Powered by: Juliana Also | 2020